7 de abr de 2015

O fim da peça (de Alma Welt)


Não quero elogio ou recompensa
Pelo pouco ou muito que doei.
Só dei o que sobrava na despensa
Do que adquiri e do que herdei.
E não a bens e imóveis me refiro
Nem qualquer coisa do mundo da matéria,
Mas àqueles tesouros que prefiro,
Não do ouro e sim de coisa séria:
Os inefáveis bens do entendimento
Da mente mas também do coração
E seu trabalho árduo, longo e lento...
Pois daqui quero levar o que interessa
Ser a causa de um momento de emoção
E da beleza de morrer no fim da peça...
07/04/2015

Nenhum comentário: